segunda-feira, 2 de agosto de 2010

A Televisão a Caminho de Matrix


Por trabalhar nesta área, muitas pessoas me perguntam que aparelho de televisão comprar. A primeira coisa que pergunto é “Quanto deseja ou poderá gastar?”. Se dinheiro não é problema, o ideal é uma TV de LCD de 50 polegadas, Full HD, com tudo que tem direito.

Mas esta ocorrendo algo que não ocorria a pouco mais de 10 anos nesta area. Com a chegada do mundo digital as coisas estão evoluindo muito rapidamente. Nem bem uma empresa coloca seu mais novo lançamento e seus técnicos já estão aprontando outro melhor. Antigamente comprava-se uma TV em Preto e Branco e durava 20 anos ou mais. Não se tinha muitas opções. Quando chegaram as TVs a cores no Brasil em 1972, o mesmo aconteceu até a chegada das TVs de Plasmas custando 10x o preço de uma Full HD atual. Eram mais caras que um automóvel popular e tem gente pagando até hoje, mesmo que a dita já esteja jogada no lixo.

Eu vejo, com muita tristeza, aparelhos em depósitos de ferro velho e lixões. Procuro a muito tempo uma TV a válvulas, de preferência em Preto e Branco. Algumas pessoas me dizem que simplesmente jogaram no lixo estas TVs e tem pessoas (colecionadores), trocando uma Full HD por elas, quando encontram.

Para 2011 a mania deverá ser as TVs com imagem em 3D, com ou sem o uso de óculos especiais. Para a copa de 2014, acredito que poderemos ter TVs com “cheiro”, isso mesmo. Poderemos sentir o cheiro da grama ou do suor do jogador (para quem gosta é claro). Já esta certo que as TVs em Full HD terão vida curta, pois já criaram modelos 4x superiores, bem como já existem DVD que superam em 4x os atuais blu rays.

Acredito que a tecnologia não tenha limites, ou melhor, o limite seria a virtualização total de nossas vidas. Assim, a melhor TV seria com a transmissão diretamente para dentro de nossos cérebros, em 3D, com cheiro, com tato etc. Vai demorar um pouco para chegarmos até este modelo, talvez 200 anos. Bastaria implantar, logo que nascêssemos, um chip ou criar via nano-tecnologia um sistema que captasse estes sinais e os projetasse diretamente em nossas mentes. Poderíamos assistir a um jogo como se estivéssemos realmente no local, como em um sonho, mas acordados. Este mesmo sistema poderia inclusive criar filmes onde o telespectador pudesse escolher entre apenas assistir ou fazer parte da trama.

Espero que as empresas sejam boazinhas e dêem um tempo para podermos comprar e terminar de pagar o aparelho antes de lançarem outro!

Obs.:

Não jogue fora seus aparelhos, sejam TVs ou outro qualquer. Entre em contato comigo!

silviomonteiro@msn.com

Um comentário:

Dos Santos disse...

Opa! Eu sou um jovem cineasta no começo de carreira aqui em viamão, eu queria saber se tu ainda tem projetos nessa área, podemos fazer algumas parcerias, meu e-mail é santoslp@hotmail.com, eu também tenho um blog de cinema http://essefilmebom.blogspot.com/